Os benefícios de se converter ao Islã (parte 2 de 3)

04/03/2015
Muitas pessoas ao redor do mundo gastam horas incontáveis lendo e estudando os princípios do Islã. Debruçam-se sobre traduções dos significados do Alcorão e são seduzidos pela vida e pela época do profeta Muhammad, que Deus o exalte.  Muitos precisam apenas de um breve relance do Islã e se convertem imediatamente.  Outros reconhecem a verdade, mas esperam indefinidamente, às vezes a ponto de colocar sua vida futura em risco.  Portanto, hoje continuamos nossa discussão sobre os benefícios às vezes não tão óbvios de se converter ao Islã.
 
"E quem quer que almeje (impingir) outra religião, que não seja o Islã, (aquela) jamais será aceita e, no outro mundo, essa pessoa contar-se-á entre os desventurados."  (Alcorão 3:85)
 
5. Se converter ao Islã é o primeiro passo no estabelecimento de uma conexão duradoura com o Criador.
 
Cada membro da raça humana nasce sabendo de maneira inata que Deus é Único.   O profeta Muhammad disse que toda criança nasce em estado de fitrah[1], com o entendimento correto de Deus.[2]De acordo com o Islã, é um estado natural de ser no qual instintivamente se sabe que existe um Criador e naturalmente queremos adorá-Lo e agradá-Lo.  Entretanto, aqueles que não conhecem Deus ou não estabelecem uma relação com Ele, podem achar a existência humana intrigante e, às vezes, até angustiante.  Para muitos, permitir Deus em suas vidas e adorá-Lo de uma forma que O agrade dá um sentido completamente novo à vida.
 
"Em verdade, é na lembrança de Deus que o coração encontra conforto." (Alcorão 13:28)
 
Através de atos de adoração como a oração e as súplicas, começa-se a sentir que Deus está próximo, por meio de Seu conhecimento e sabedoria infinitos.  Um crente está seguro no conhecimento de que Deus, o Altíssimo, está acima dos céus e é confortado pelo fato de que Deus está com ele em todos os seus assuntos.  Um muçulmano nunca está sozinho.
 
"Ele bem conhece o que penetra na terra e tudo quanto dela sai; o que desce do céu e tudo quanto a ele ascende, e está convosco onde quer que estejais, e bem vê tudo quanto fazeis." (Alcorão 57:4)
 
6. Se converter ao Islã revela a misericórdia e perdão de Deus em relação à Sua criação.
 
Como seres humanos frágeis frequentemente nos sentimos perdidos e sozinhos.  É então que nos voltamos para Deus e buscamos Sua misericórdia e perdão.  Quando nos voltamos para Ele em verdadeira submissão, Sua tranquilidade desce sobre nós.  Somos então capazes de sentir a qualidade de Sua misericórdia e vê-la manifesta no mundo ao nosso redor.  Entretanto, para adorar Deus, precisamos conhecê-Lo.  Se converter ao Islã abre o portal para esse conhecimento incluindo o fato de que o perdão de Deus não tem limites.
 
Muitas pessoas ficam confusas ou envergonhadas dos muitos pecados que cometeram durante suas vidas.  Se converter ao Islã elimina completamente esses pecados e é como se nunca tivessem acontecido.  Um novo muçulmano é tão puro quanto um bebê recém-nascido.
 
"Dize aos descrentes que, no caso de se arrependerem, ser-lhes-á perdoado o passado.  Por outra, caso persistam, que tenham em mente o escarmento dos antigos." (Alcorão 8:38)
 
Se depois de se converter ao Islã uma pessoa comete mais pecados, a porta para o perdão continua aberta.
 
"Ó vós que credes! Voltai, sinceramente arrependidos, a Deus; é possível que o vosso Senhor absolva as vossas faltas e vos introduza em jardins, abaixo dos quais correm os rios..."  (Alcorão 66:8)
 
7. Se converter ao Islã nos ensina que os testes e as tribulações fazem parte da condição humana.
 
Quando uma pessoa se converte ao Islã, ela começa a compreender que os testes, tribulações e triunfos dessa vida não são atos aleatórios de um universo cruel e desorganizado.  Um verdadeiro crente compreende que nossa existência é parte de um mundo bem ordenado e que a vida se desenvolve exatamente da forma que Deus, em Sua sabedoria infinita, ordenou.
 
Deus nos diz que seremos testados e nos aconselha a suportar nossos testes e tribulações pacientemente.  Isso é difícil de entender, a menos que se abrace a unicidade de Deus, a religião do Islã, na qual Deus dá orientações claras sobre como se comportar diante de testes e tribulações.   Se seguirmos essas orientações, encontradas no Alcorão e nas tradições autênticas do profeta Muhammad, é possível suportar aflições com facilidade e até sermos gratos.
 
"Certamente que vos poremos à prova mediante o temor, a fome, a perda dos bens, das vidas e dos frutos. Mas tu (ó Mensageiro), anuncia (a bem-aventurança) aos perseverantes." (Alcorão 2:155)
 
O profeta Muhammad disse: "um homem será testado de acordo com o nível de seu comprometimento religioso e as tribulações continuarão a afetar um servo de Deus até que caminhe na face da terra sem o fardo de qualquer pecado".[3] Um muçulmano sabe com certeza que esse mundo, essa vida, não são mais que um lugar de passagem, uma parada na jornada para nossa vida eterna no inferno ou no paraíso.  Enfrentar o Criador sem o fardo do pecado é uma coisa maravilhosa, certamente merecedora dos testes que recaem sobre nós.
 
No próximo artigo concluiremos essa discussão mencionando que o Islã é um modo de vida.  Ele claramente define os direitos, obrigações e responsabilidades que temos em relação a outros seres humanos e nosso cuidado com os animais e o meio ambiente.  O Islã contém as respostas para todas as perguntas, grandes e pequenas, da vida.


Voltar



UNI União Nacional Islâmica
Telefones
(5511) 3227-9660
(5511) 3227-8663
uni@uniaoislamica.com.br

Imprensa
Núcleo de Jornalismo da UNI:
e-mail: imprensa@uniaoislamica.com.br

© Copyright 2012.
Todos os direitos reservados.